Crónicas de viagens por um Mundo que considero Justo e Perfeito:. Aqui vou publicar desde pequenos passeios até grandes viagens que vou fazendo. Começo pela Cidade que me deu berço, me viu crescer e agora tento contribuir para a melhorar!

:. Recentes

:. Passeio Gerês e Minho - D...

:. Farto de dores com que o ...

:. Passeio Entre-os-Rios e A...

:. Shortest Way Home - O Cam...

:. Lei das 125 venceu!

:. Francisada! (16 de Maio d...

:. Francisada! (16 de Maio d...

:. Francisada - Porto - Adia...

:. Francisada - Porto - 4 de...

:. Passeio 3 - 3 Dias 2 Pass...

:. Passeio 1 - 3 Dias 2 Pass...

:. Passeio nocturno pelo Por...

:. Há 117 anos - 31 de Janei...

:. Visita às Caves do Vinho ...

:. Arquivo

:. Dezembro 2011

:. Setembro 2011

:. Março 2011

:. Outubro 2010

:. Maio 2010

:. Setembro 2009

:. Agosto 2009

:. Julho 2009

:. Junho 2009

:. Maio 2009

:. Abril 2009

:. Março 2009

:. Fevereiro 2009

:. Dezembro 2008

:. Novembro 2008

:. Setembro 2008

:. Agosto 2008

:. Julho 2008

:. Junho 2008

:. Abril 2008

:. Março 2008

:. Fevereiro 2008

:. Janeiro 2008

:. Ligações

:. Utilidades



Weather Forecast | Weather Maps

:. NetColantes

Portugal


Espanha


















Quarta-feira, 19 de Maio de 2010

Passeio Gerês e Minho - Dados Finais

 

Mapa da Viagem

 

Data: 13 de Maio de 2010
Kms percorridos: 319 kms
Área envolvida: 2146 kms quadrados
Duração: 8 horas e 19 minutos
Velocidade média: 38 kms/h

Consumo médio: 4,87L/100 kms

 

Principais locais: Porto, Famalicão, Braga, Gerês, Lobios, Arcos de Valdevez, Paredes de Coura e Ponte de Lima.

Vagueio:
Publicado por WandereR às 00:04
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

Farto de dores com que o matavam foi em viagens por esse mundo - Introdução

farto de dores com que o matavam foi em viagens por esse mundo Mapa percurso   

 

 Distância percorrida: 47,5 kms

 Duração: 2 horas e 33 minutos

 Velocidade média: 19 kms/h

 Área envolvida: 17 kms2

 2 CBFs

Tendo em conta os dias que se aproximam, relembrei com alguma nostalgia uma frase que li há uns anos e que sempre achei piada... «farto  de dores com que o matavam foi em viagens por esse mundo»... Frase esta de autor desconhecido atribuída a António Nobre, pensando eu que lhe foi dedicada.

Esta frase está inscrita numa pedra, tal como represento na primeira imagem, na Praia da Boa Hora em Leça. Achei que o melhor local para começar esta série de crónicas seria este e, já agora, porque não fazê-lo com outro companheiro da estrada!?

Farol

Este é um local muito especial para mim, por muitas razões, mas porque passei aqui muito tempo em adolescente e sempre foi um local que me provocava calma e serenidade. É aqui que está outra frase de António Nobre muito interessante: «Na praia lá da Boa Nova, um dia, Edifiquei (foi esse o grande mal) Alto castelo, o que é a fantasia, Todo de lápis-lazúli e coral!»

Quem passa por lá também não fica indiferente à famosa Casa de Chá da Boa Nova do arquitecto Álvaro Siza Vieira. A pequena capela e a grande refinaria contrastam neste misto de antiguidade e inovação sempre com o atento olhar do farol!

Daqui seguimos em direcção a norte sempre com o mar ao nosso lado esquerdo, utilizando sempre a estrada o mais chegada a ele possível... até não poder mais!

Foi então que chegamos a uma praia, que eu lhe chamo praia azul por causa do café azul edificado nas dunas e é nesta praia que procuramos refugio de multidões ao final de tarde!

Visto ainda ser muito cedo para regressar a casa, decidimos refazer o caminho de volta em direcção a sul até Leixões, claro que muito ficou por registar mas haverão outros passeios com outros interesses!

Entrando na AE deparamos com transito congestionado e aqui optamos por seguir caminhos distintos, pois tenho pouca paciência para esperar no transito com moto, em especial com as malas laterais! Assim segui por Matosinhos, solitário e sem destino mas com rumo!

Lembrei-me então de um monumento que nunca entendi e jáprocurei explicação e nada fez sentido... parei e fotografei... um dia alguém me dirá! É de referir que algo deve ter relação com Santiago pois a simbologia parece a mesma!

 Após procurar mais conhecimento, lá voltei à estrada, percorrendo toda a marginal de volta ao Porto e pelo Porto, observando as pessoas nas suas vidas e hábitos. Passando por debaixo da Ponte da Arrábida, decido parar para beber algo numa esplanada habitual e sem prestar muita atenção escuto os temas de conversa à minha volta e interrogo-me se isso me interessa e porque é que estou a tomar atenção a conversas de outras pessoas sem perceber o que iam fazer a Lisboa no dia seguinte ou os problemas de saúde do pai.

Levanto-me e rumo a casa... já comecei nas minhas viagens por esse mundo na tentativa de esquecer as minhas dores!

Esta foi a primeira...

Vagueio:
Publicado por WandereR às 20:23
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Domingo, 31 de Maio de 2009

Passeio Entre-os-Rios e Aguiar de Sousa

Bem um Sábado começado cedo mas às 9h:30 já estava sozinho em casa sem nada para fazer... Depois de consultar alguns tópicos nos Fóruns, continuava sem nada para fazer portanto fiz o que me sabe melhor... peguei na ZuVa, equipei-me e equipei a ZuVa e segui para um percurso que gosto muito de fazer mas que causa algum desconforto à pendura... Estrada de Entre-os-Rios.

Ao passar pela Avenida uma hora antes, de carro, tinha reparado num balão de ar quente que estava a ser enchido portanto antes de ir para algum lado fui espreitar o que se passava por lá!

Depois de perceber e tirar algumas fotos, segui então em direcção à marginal para tomar a estrada de Entre-os-Rios. O transito estava fácil o que me permitiu gozar a viagem e as curvas feitas ao meu gosto!

Sempre com o rio ao meu lado desfrutei da paisagem e parei para tirar algumas fotos. Parei junto à barragem e aqui lembrei-me de alguns passeios que foram prometidos mas nunca cumpridos... Mas isso são planos para o futuro.

Seguindo viagem ainda não tinha pensado no destino... a única coisa que sabia era que tinha de estar de volta a casa às 13h e ainda eram 10:45 e tinha percorrido apenas 25kms. Segui a estrada por Entre-os-Rios mas ainda encontrei uma marina, onde já tive uma vez com a pendura o ano passado e que estava completamente vazio.

Segui pela estrada estreita mas em bom estado sempre junto ao rio, vi pescadores e barcos nas margens do Rio e voltei à estrada principal por uma rua de paralelo muito íngreme pedindo um esforço extra e um cuidado redobrado por causa das curvas, paralelo e muita inclinação.

Conforme percorria a estrada de Entre-os-Rios vi uma placa que dizia "Salto" e eu lembrei-me da única vez que fiz campismo selvagem com o meu irmão que foi precisamente no "Salto" e lembrei-me da Sra. do Salto então desviei para o interior deixando a marginal para trás.

Andei sempre atento a coisas bonitas para ver e às placas que por vezes indicavam algo interessante mas que depois não se via nada como por exemplo uma "Mamoa" que só consegui ver a placa... não vi mais nada. Mas a paisagem era interessante sempre com arvores e vegetação em abundância.

Visto que não tinha qualquer indicação no GPS para "Salto" acabei por desviar para Aguiar de Sousa parando junto a uma ponte com um rio (ou riacho) por baixo e algumas construções por baixo. Tirei algumas fotos... as últimas deste passeio.

Mais à frente fui surpreendido por uma placa que dizia "Castelo de Aguiar de Sousa" e, com a curiosidade que tenho por castelos, não resisti em dar a volta e ver se daria para visitar... ainda estudei a "Travessa do Castelo" mas o piso não pareceu que fosse muito seguro para subir com a ZuVa que apesar de estar muito direitinho não era bem paralelo mas mais parecia Xisto polido... Ainda pensei em tentar subir mas o receio de não haver onde parar ou dar a volta fez-me desistir da ideia... esperei uns minutos mas não passou ninguém, não veio ninguém à janela e não vi carro nenhum portanto desisti da ideia e pensei em procurar mais informação sobre este desconhecido Castelo e voltar cá num outro dia e se calhar com companhia.

Arranquei e uns kms à frente encontrei uma carrinha caixa aberta com um casal lá dentro, parei e perguntei se o Castelo era visitável, se podia subir com a moto ou se tinha de ir a pé! e ainda bem que não arrisquei pois não se pode subir senão a pé, todas as viaturas têm de ficar cá em baixo. Mesmo tendo eu um par de sapatilhas numa das malas optei por não voltar a trás e voltar cá outro dia. Segui viagem...

Estavam a aproximar-se as 12h e já estava com bastante calor e começar-me a doer as mãos por conduzir em passeio e já estava a andar a mais de 1h e 30 m, optei por colocar no GPS caminho para casa e rapidamente me apercebi que ainda estava por perto, pois o GPS dava como hora prevista de chegada a casa em 10minutos...

Lá vim eu pela A29 desde Gondomar até à VCI onde rapidamente cheguei a casa... mesmo com equipamento de verão cheguei transpirado e com os pés a ferver mas satisfeito com um excelente passeio!

 

Foram cerca de 60kms em pouco menos de 2 horas mas que me deixou com um sorriso de orelha a orelha!

Vagueio:
Publicado por WandereR às 17:11
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sábado, 30 de Maio de 2009

Shortest Way Home - O Caminho mais curto para casa!

Sem horas para chegar a casa e com um excelente dia de Sol e calor, decidi tomar o caminho mais curto até casa depois de sair do local de trabalho... não foi bem pois decidi abastecer o depósito antes do fim de semana mas foi quase.

 

18:30 - Paços de Ferreira - Bomba do Continente Ferrara Plaza.

 

Coloquei no GPS "Caminho para casa - Percurso mais curto"

 

E lá vim todo contente a aproveitar a paisagem... as curvas e contra curvas...

 

As estradas por Paços de Ferreira não estão nada más e até chegar a Ermesinde foi muito rápido e em excelentes condições... ao ponto de conseguir tirar fotos em andamento e tudo.

 

Bem chegando ao cruzamento em direcção a Ermesinde tomei a decisão errada e optei por não seguir pela A25/A3

 

19:00 Entro na estrada que passa pela Maia e Ermesinde... Rapidamente deparo com um transito infernal em conjunto com estrada em muito mau estado e em reparação que como está a ser feita metade de cada vez provoca um transito muito complicado que, como a estrada é estreita, há falta de respeito e civismo dos utentes da estrada e ainda o tráfego alternado fez com que demorasse mais de 45 minutos a fazer estes poucos kms que de mota devia demorar 10min! Neste momento tenho muita pena dos condutores que lá ficaram!

 

19:45 Chegada a casa...

 

E agora eu pergunto: É esta a alternativa que temos à A3?

Vagueio:
Publicado por WandereR às 13:57
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 22 de Maio de 2009

Lei das 125 venceu!

Última hora: “Lei das 125" venceu!  22-05-2009

 

Nova unanimidade histórica na Assembleia da República e parabéns aos Motociclistas

A manhã desta sexta-feira, 22 de Maio de 2009, entra também para a história do Motociclismo em Portugal já que, tal como há uns anos com a “Lei dos Rails”, os motociclistas de Portugal conseguiram levar TODOS os deputados à razão, fazendo com que a “Lei das 125” tenha sido aprovada não por maioria mas sim por unanimidade na Assembleia da República.

 

Esta lei fará com que todos os automobilistas possam conduzir motociclos até 125 cc e 15 cv sem necessitar de mais algum exame de condução. Ou seja, a carta de automóvel passa a servir também para estes pequenos, fáceis e citadinos motociclos.


No caso do automobilista ter menos de 25 anos, terá de fazer um pequeno e económico exame prático numa escola de condução. Só.

 

As vantagens desta lei saltam aos olhos. Em primeiro, a mobilidade dentro das cidades. O aumento de qualidade de vida da população é evidente se os automóveis começarem a ficar em casa.


Em segundo, uma lufada de ar fresco para o sector económico das duas rodas motorizadas. Por último, mas já a mais longo prazo, o factor de mais pessoas começarem a “ver a luz” e se juntarem à família dos motociclistas entusiastas e dinamizadores dos motoclubes.

 

Acreditar quando se tem razão

 

Recordemos que esta lei já está em vigor há vários anos em países da Europa que costumamos ver como exemplos. O responsável da mobilidade de Madrid afirmou recentemente num congresso onde estava António Manuel Francisco, responsável pelo Grupo de Acção Motociclista (GAM) “Eu quero Madrid a andar de moto!”. Entretanto Barcelona já anda. Como seria esta cidade mediterrânica se todas as motos fossem trocadas por automóveis?

 

Por cá, a Federação de Motociclismo de Portugal e o GAM recolheram milhares de assinaturas há uns anos para que esta lei fosse debatida na AR. A petição contou com a colaboração do MC Porto, na sede, e com elementos nossos noutros locais. Também o MC Porto esteve presente na entrega da petição, em São Bento.

 

Posteriormente, a 11 de Junho de 2006, na demonstração de protesto promovida pelo GAM entitulada “Somos Vítimas e Não Culpados”, o autor destas linhas subiu ao gabinete do Secretário de Estado Ascenso Simões, na companhia de mais dois representantes – José Amaro e António Manuel - dos 4000 motociclistas que enchiam o Terreiro do Paço.
Fomos recebidos pelo chefe de gabinete que torceu o nariz à ideia da “Lei das 125”.

Mas a hora e a razão chegaram.

 

Se a “Lei dos Rails” surgiu (após o batalhar dos motoclubes e motociclistas no geral) do trabalho do deputado PSD Rodrigo Ribeiro, agora foi o deputado PCP Manuel Vidal a conseguir provar a melhoria para o povo português com esta decisão.

No final da sessão, os responsáveis pelos motociclistas presentes reuniram-se com os deputados das diversas bancadas tendo recebido os parabéns pela persistência e forma de trabalhar.

Estamos todos de parabéns!

 

Fonte Moto Clube do Porto

Vagueio:
Publicado por WandereR às 17:53
Ligação do post | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
|

:. WandereR

:. SlideShow

:. Subscrever

Escreva aqui o seu endereço de Correio Electrónico:

Delivered by FeedBurner

:. Pesquisar

 

:. Dezembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

:. Tags

:. todas as tags

:. Colaboração