Crónicas de viagens por um Mundo que considero Justo e Perfeito:. Aqui vou publicar desde pequenos passeios até grandes viagens que vou fazendo. Começo pela Cidade que me deu berço, me viu crescer e agora tento contribuir para a melhorar!

:. Recentes

:. Férias Agosto 2009 - Dado...

:. Férias Agosto 2009 - Dia ...

:. Férias Agosto 2009 - Dia ...

:. Férias Agosto 2009 - Dia ...

:. Crónica Férias Agosto 200...

:. Crónica Férias Agosto 200...

:. Crónica Férias Agosto 200...

:. Arquivo

:. Dezembro 2011

:. Setembro 2011

:. Março 2011

:. Outubro 2010

:. Maio 2010

:. Setembro 2009

:. Agosto 2009

:. Julho 2009

:. Junho 2009

:. Maio 2009

:. Abril 2009

:. Março 2009

:. Fevereiro 2009

:. Dezembro 2008

:. Novembro 2008

:. Setembro 2008

:. Agosto 2008

:. Julho 2008

:. Junho 2008

:. Abril 2008

:. Março 2008

:. Fevereiro 2008

:. Janeiro 2008

:. Ligações

:. Utilidades



Weather Forecast | Weather Maps

:. NetColantes

Portugal


Espanha


















Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

Férias Agosto 2009 - Dados finais

Datas: de 14 a 18 de Agosto de 2009
Kms percorridos: 955 kms
Área envolvida: 12194 kms quadrados
Duração: 4 dias 9 horas e 55 minutos
Velocidade média: 9 kms/h

 

Principais locais: Mealhada, Luso, Góis, Arganil, Piódão, Seia, Guarda, Pomares-Pinhel, Almeida, Ciudad Rodrigo, Vila Nova de Foz Côa, Sequeiros, Torre de Moncorvo, Vila Flor, Mirandela, Amarante e Porto!

Vagueio:
Publicado por WandereR às 11:00
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Domingo, 30 de Agosto de 2009

Férias Agosto 2009 - Dia 3 - Adeus Góis... Olá Guarda...

 Data: 16 de Agosto de 2009
Kms percorridos: 182 kms
Área envolvida: 319 kms quadrados
Duração: 12 horas e 28 minutos
Velocidade média: 15 kms/h

  

Neste último dia em Góis, começamos relaxados junto ao Rio depois de beber um sumo e comer um bolo na tenda das refeições... guardamos as águas e sumos extra, que recebemos ao trocar o jantar do dia anterior, e ficamos na sombra das árvores junto ao Ceira à espera que o tempo fosse passando... Assim as estradas iam ficando mais livres e nós descansados para os kms que se apresentavam muito quentes...  Ainda nos despedimos de CBFistas e planeamos a viagem. Perto da hora de almoço, ainda sem fome, fomos recolher mais água e fruta para o caminho e decidimos não tocar no almoço... com este calor era difícil ter fome. Sentamos-nos com CBFistas e trocamos 2 dedos de conversa de despedida e boa viagem de regresso. Após o almoço regressamos ao quarto onde aprontamos as malas e tratamos da reserva para o ano seguinte. Aguardamos que a hora de maior calor fosse avançando. 

Arrancamos com rumo a Arganil para tomar aí a estrada até ao Piódão, mas decidimos parar para refrescar e comer qualquer coisa. Seguimos então até ao Piódão e, mais uma asneira, não abastecemos o depósito da ZuVa visto só termos feito pouco mais de 150kms... deve chegar...

 

Depois de uma estrada que não tenho palavras para descrever, bom piso e boas curvas mas deveras assustador com as alturas, nada do agrado da pendura, lá chegamos à aldeia mais portuguesa e muito interessante... Depois de muita confusão com os carros mal estacionados e com um Autocarro a não conseguir passar, lá conseguimos, graças às 2 rodas, estacionamos à entrada da Aldeia e paramos para visitar, comer um gelado e comprar recordações. Aquele licor de pêssego no dia anterior ficou-nos na doce memória e decidimos comprar para nós e para oferecer. Passeamos um pouco pelas ruelas da aldeia, lamentando apenas o facto de estar de botas calçadas e sem espaço onde guardar as botas e calçar algo mais confortável. Era dia de festa e visitamos as capelas e locais da festa. Ficamos um pouco à sombra a apreciar a paisagem e a ver os turistas a passar.

 

 

Seguimos então pela estrada ainda por arranjar em direcção à Guarda através da Serra da Estrela. Fomos andando a ver a paisagem sem sequer pensar no combustível da ZuVa. Montanhas fantásticas, Paisagem de cortar a respiração, não só pela altura mas também pelas casas, pontes e caminhos.

 

Vimos algumas praias fluviais e ainda pensamos 2 vezes em parar e desviar mas como os fatos de banho estavam nos fundos das malas não o fizemos. Pelos cálculos chegaríamos à Guarda à hora de jantar, portanto não convinha parar muito tempo. Seguimos sempre por onde o GPS nos mandava e entramos em plena Serra da Estrela e eis que chega a surpresa... acedeu a luz da reserva... E agora? volta-se para trás ou continua-se? Lá seguimos a receio e sempre à procura de um cartaz que anunciasse uma bomba de abastecimento... e andamos... andamos... e a luz ia acendendo e apagando... e andamos... até que encontramos um casal já de alguma idade e perguntamos:

- Boa tarde! Onde fica a bomba mais próxima?

- Uhmmm há uma aqui na vila mas está fechada aos Domingos e Feriados... (e hoje é domingo pensei eu!) O melhor é seguirem até Seia!

- Quantos kms são mais ou menos? - Perguntei eu na esperança de não estar muito longe!

- Uns 20 ou 30 kms! é sempre a subir e na rotunda cortam à esquerda!

 

Lá agradeci e seguimos evitando acelerar muito e sempre que descia usava a embraiagem para tentar poupar um pouco de gasolina... (Claro que nas curvas largava a embraiagem para manter a moto segura) E andamos... andamos... andamos... passamos várias vilas e nada de bomba... até que vimos o letreiro de Seia e já a respirar fundo lá procuramos e perguntamos pelas bombas... que ficavam lá para o centro, à direita e depois à esquerda, passando as escolas e nunca mais lá chegávamos... até que finalmente e depois de quase termos um acidente, encontramos uma bomba com Gasolina 95 a € 1,339 o litro abastecida pela Galp.

 

Mais descansados seguimos para a Guarda. O cansaço já se fazia sentir então decidimos entrar na A25... tarefa mais difícil do que parece... andamos sempre na Nacional... até que, finalmente, em Porto da Carne conseguimos entrar na A25 e seguimos sempre até à Guarda. Fomos ao centro e ligamos ao meu primo para um bom restaurante e lá fomos jantar ao "O Imperador" onde nos banqueteamos com uma picanha à moda da casa com uns legumes salteados na hora e servida na frigideira... Divinal Manjar para terminar mais uma etapa da nossa viagem. Depois de muita conversa e alegria lá nos despedimos do Primo e seguimos para casa onde pernoitamos já perto de Pinhel, na aldeia de Pomares. Aldeia onde passei muitos Verões da minha infancia!

 

Foi muito bom rever uma tia que sempre chamei de 2ª mãe! Ainda encontramos a minha prima que já tinha desistido de esperar por nós mas conseguimos chegar mesmo a tempo de cumprimentar e felicitar pelo nascimento já próximo do Tomás...

 

Depois de tudo isso e de alguma conversa lá fomos descansar pois seriam muitos kms no dia seguinte.

Vagueio:
Publicado por WandereR às 22:28
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009

Férias Agosto 2009 - Dia 2 - Mergulhando nas águas de Góis


Data: 15 de Agosto de 2009
Kms percorridos: 71,2 kms
Área envolvida: 0,7 kms quadrados
Duração: 12 horas e 49 minutos
Velocidade média: 6 kms/h

 

 

Acordei cedo e depois de alguma insistência consegui acordar a pendura. Saímos de casa e pegamos na ZuVa e fomos tomar o pequeno almoço. Mais uma vez facilitado por sermos só 2. Ligamos então a saber dos restantes CBFistas que já estavam em Arganil e iam em direcção ao Piódão. Como tinha-mos combinado almoçar com alguns CBFistas que iam só almoçar, decidimos ficar em Góis.

 

No dia anterior já tinha-mos ido verificar o caminho para a Praia Fluvial de Carcavelos e, como ainda era cedo, lá fomos nós apanhar um pouco de sol e banhar nas águas de Góis. Longe de sabermos da dificuldade que será chegar lá e pior sair de lá! O caminho é agreste e sempre em S devido à elevada inclinação do terreno... Claro que a ZuVa teve de esperar cá trás! A meio da manhã e o calor já era insuportável! Chegados ao Rio deparamos com uma multidão à procura de um pequeno espaço onde pousar as toalhas... Nada como um espírito aventureiro para descobrirmos uma pequena praia deserta a poucos metros deste local. Com a devida precaução pela diferença de temperatura mas lá mergulhamos nas águas do Rio Ceira. 

   

Ao final da manhã chegaram os CBFistas a Góis para almoçar e então começamos a difícil subida até à moto para voltarmos para o centro de Góis. Chegados ao centro de Góis fomos ter com os viajantes junto da famosa ponte de Góis e como um deles iria acampar e ficar para o dia seguinte, acompanhei-o até ao acampamento CBFPortugal e ajudei a montar a tenda. No regresso encontrei vários CBFistas que também não foram ao Piódão e andavam em busca de local para almoçar... seguimos então todos juntos.

 

Na minha ideia o ideal era almoçar-mos no mesmo local onde iríamos jantar nesse dia mas, como em todos os restaurantes da zona, esperava-nos uma fila de mais de uma hora. Algumas fotos, algumas discussões sobre onde almoçar e lá seguimos em busca de outro restaurante mais na direcção da Cabreira... Depois de vários kms e muito perguntar, chegamos à conclusão que nada havia para esse lado e então decidimos regressar... Aqui o grupo separou-se em dois acabando por almoçar em separado.

 

Depois de almoço, lá regressamos à praia fluvial de Cabreira onde fui desafiado a mergulhar pelo R1_R1 e lá fomos os dois à água... Os restantes aproveitaram para molhar os pés e refrescar as ideias.

 

Visto serem horas de se fazerem à estrada, saímos da água e regressamos a Góis onde bebemos uma bebida fresca e nos despedimos com votos de boa viagem aos que regressavam a casa nesse dia. Ainda demos uma voltinha por Góis mas a chuva ameaçava novamente o céu e decidimos regressar a casa para ver um pouco de TV e esperar pela hora do Jantar CBFPortugal.

 

Deu tempo ainda para fazer a foto de todo o acampamento e testar a simpatia do Guarda Policial GNR que assegurava que não parava muita gente na ponte... Muito simpaticamente nos convidou a sair da ponte e seguir caminho sem com isso nos impedir de tirar as fotos! Um bem haja e podem ver que ficou na foto!

 

Chegada a hora lá seguimos em direcção ao restaurante para cumprir a hora marcada e encontrando vários CBFistas e o já famoso convívio CBFPortugal decorreu com a habitual alegria e boa disposição. Até a luz foi a baixo! O SpQuad partilhou com todos um Licor de Pêssego que comprou em Piódão que soube muito bem! (Bem haja!)

 

Depois de jantar regressamos ao recinto dos espectáculos, até porque já aguardávamos o concerto dos Blasted Mechanism há bastante tempo, tendo por precaução (se beber não conduza) deixado a ZuVa segura e devidamente estacionada em casa deslocando-nos a pé!

 

Convivemos com os CBFistas, aproveitamos as bebidas frescas e grátis e curtimos o fantástico espectáculo dos BLASTED MECHANISM! 

 

 

Assim que terminou seguimos a pé para casa onde passamos uma noite descansadinhos longe da confusão dos motoqueiros que passaram a noite a mandar ráteres!

 

Vagueio:
Publicado por WandereR às 17:33
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009

Férias Agosto 2009 - Dia 1 - A caminho da XVI Concentração de Góis


Data: 14 de Agosto de 2009
Kms percorridos: 186 kms
Área envolvida: 1362 kms quadrados
Duração: 10 horas e 4 minutos
Velocidade média: 19 kms/h

 

Mesmo anunciado em vários fóruns a nossa partida nesse dia, não houve mais companheiros de 2 rodas que partilhassem connosco a viagem até Góis para a XVI Concentração motard de Góis. Assim partimos à hora que bem entendemos, em direcção à Mealhada onde iríamos almoçar. Enquanto se finalizavam os últimos pormenores das bagagens e malas, ainda deu tempo para ir verificar a pressão dos pneus e preparar a ZuVa para a viagem.

 

Antes de nos fazermos à estrada ainda passamos pela Cafetaria Monte Louro para cumprimentar um amigo e combinar o encontro para o dia seguinte.

 

Seguimos então em direcção à Mealhada, usando estradas sem portagens saindo para a Estrada Nacional em Estarreja onde planeava abastecer a ZuVa no Intermarché onde é mais barato mas começavam aqui os pequenos azares... Estavam a abastecer os depósitos portanto a estação estaria fechada por 45 minutos... portanto decidimos continuar e procurar outra estação de serviço em Aveiro para abastecer... Visto que a luz indicadora da reserva tardava em acender, seguimos sempre até à Mealhada. Pouco antes de chegarmos lá acendeu a luz e procuramos uma bomba para abastecer e quando não se conhece a região tem de se abastecer no que aparece, então lá abastecemos na BP a € 1,339 o litro de Gasolina 95. Já mais relaxados lá seguimos para o restaurante Octávio dos Leitões para nos saciarmos com o há muito planeado Leitão!

 

Após o almoço seguimos em direcção ao Luso, tínhamos tempo e não precisávamos de ir a correr até Góis. Antes de chegar ao Luso a ZuVa marcou os Kms 22222 e lá paramos para uma foto para registar o momento! Chegados ao Luso procuramos uma sombra para descansar um pouco e refrescar as ideias pois o calor fazia-se sentir.

 

Enquanto esperava pela Pendura que tinha ido reabastecer a garrafa de litro e meio na fonte, passou uma Chopper com 2 raparigas que pararam para me pedir indicações... Queriam ir para Góis mas perderam a indicação e não sabiam como lá chegar. Eu como nortenho que sou ofereci-me para lhes indicar o caminho até lá visto que também seguíamos para Góis.

 

Assim seguimos, tal como planeado, por estradas nacionais, pelo Buçaco até Góis, sempre em estradas de curva e contra curva que tanto prazer me dá! Mas pelos vistos as nossas companheiras de viagem desde o Luso não partilharam esse prazer... não é fácil fazer essas estradas e curvas ao comando de uma chopper!

 

A chegar a Góis começamos a sentir umas gotas de chuva mas olhávamos o céu e estava sol!

 

Chegados à entrada da Concentração, lá fizemos a inscrição e já aqui se anunciava a diferença de simpatia entre o Norte e o Sul... pois as nossas companheiras de viagem pararam a moto bem afastadas de nós... Depois da inscrição, fomos conversar com elas, apresentamos-nos mas não obtivemos apresentação da parte delas e a nas poucas palavras lá nos disseram que eram de Lisboa. Como um bom Nortenho lá ofereci lugar no acampamento CBFPortugal e a companhia dos CBFistas... lá nos despedimos e lá tratamos de combinar a ida até ao nosso quarto reservado desde Fevereiro. Ainda entramos no recinto e procuramos os CBFistas mas deveriam estar todos na praia visto só haver tendas e motos junto do espaço reservado aos CBFistas.

 

Combinamos então um ponto de encontro e seguimos para a casa onde iríamos pernoitar e, enquanto esperávamos junto da única estação de serviço de Góis, os céus desabaram sobre nós! O Céu ficou escuro e começou a chover gotas de chuva grossas e pesadas! Assim que a Dona Lisete e o seu genro chegaram , montamos na ZuVa e corremos até à casa, fugindo então para dentro de casa à espera que a chuva acabasse! Nem tempo tivemos para tirar as malas!

 

30 minutos depois lá melhorou o tempo e então podemos tirar as malas e instalarmos-nos no quarto. Decidimos passear um pouco a pé, já estávamos cansados de andar de moto e decidimos dar descanso à ZuVa e a algumas partes do nosso corpo.

 

Nesta altura havia algum receio de voltar a sair por causa da chuva e isso via-se bem nas esplanadas e praias. Passeamos pela feira e aqui provamos a gratidão de algumas pessoas, pois cruzamos-nos com as duas meninas lisboetas e estas fizeram de conta que não nos viram e nem nos dirigiram uma única palavra! Estou a ver que gostaram muito das estradas por onde as trouxe! Mas claro que os CBFistas são exactamente o oposto pois fomos brindados pelas boas vindas dos companheiros do Fórum CBFPortugal que já se encontravam em Góis.

 

Já se notava bastante movimento de motos e pessoas mas, isto de andar a pé tem as suas vantagens, visto que descobrimos uma zona de Góis que se manteve alheio às motos. Uma praça que dava acesso à igreja, que se mantém oculto a quem não pára para explorar.

Voltamos até à esplanada e lá saciamos a sede enquanto esperávamos pela hora do Jantar.

 

Fomos então buscar a ZuVa para termos mais liberdade de movimentos, ainda deu para tirar algumas fotos e apreciar a paisagem que tínhamos da janela do nosso quarto.

Passeamos um pouco e fomos jantar. Isto de jantar em grupos tem alguma piada mas é bem mais fácil arranjar mesa e sermos servidos rápido quando apenas somos 2. Depois de jantar fomos parar a ZuVa em casa e seguimos para o recinto a pé. Encontramos alguns CBFistas, passeamos pela feira, comemos umas sandes de Porco no Espeto e assistimos ao espectáculo. Depois de ver como eram as instalações sanitárias seguimos para casa deixando o Rui Veloso a meio da sua actuação. Era hora de encerrar o primeiro dia da nossa viagem... Ainda houve tempo para ver um filme na TV à espera que o sono se instalasse.

Vagueio:
Publicado por WandereR às 15:00
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

Crónica Férias Agosto 2008 - 3º Dia (17 de Agosto)

Percurso Dia 33º Dia - 17 de Agosto de 2008 - Acordamos cedo e tomamos o pequeno-almoço ainda na Dona Elvira. Preparamos a bagagem e enquanto a pendura liquidava as contas, preparei a ZuVa para o resto da viagem. Combinados com os CBFistas seguimos até Góis para nos encontrarmos com o Grupo.

 

 

Chegados ao acampamento já todos tinham zarpado e segundo contacto telefónico estavam a almoçar para retornarem a casa. Nós como tínhamos a carga toda passeamos um pouco por Góis e aguardamos horas para almoçar. Com a ZuVa com alforges não arriscamos em deixa-la fora no nosso alcance, tendo decidido em ir levantar os 2 almoços que tínhamos WandereR e Manuela na Serra da Lousãdireito e optamos por almoçar na marginal do rio nas cadeiras e mesas de pedra... Bem mais agradável que no recinto. 

 

Após o almoço seguimos viagem, deixando Góis para trás, em direcção à Lousã onde começamos a visitar locais e aproveitar as férias. Primeira WandereR e Castelo Lousãparagem o Castelo da Lousã que se encontra fechado a visitas! Aqui encontramos um casal praticante de GeoCaching, o "touperdido" e a "Limão". «Geocaching é um desporto de ar livre que envolve a utilização de um receptor de GPS ("Sistema de Posicionamento Global") para encontrar uma "geocache" (ou simplesmente "cache") colocada em qualquer local do mundo. Uma cache típica é uma pequena caixa (ou tupperware), fechada e à prova de água que contém um livro de registo e alguns objectos, como canetas, afia-lápis, moedas ou bonecos para troca.» Trocamos algumas palavras em especial sobre o GPS e a actividade de GeoCaching bem como os Nicks utilizados em fóruns.

 

Continuando viagem e com o destino Leiria marcado no GPS com indicação de evitar Portagens e Auto-estradas, continuamos por estradas WandereR ConímbrigaManuela ConimbrigaNacionais de beleza única passando perto das Ruínas de Conímbriga onde decidimos parar para esticar as pernas e aproveitar para lanchar. Depois de estacionada a ZuVa lembramos-nos mais uma vez que estamos com os alforges montados e apesar de não ter nada de valor nos mesmos ficamos com uma sensação de insegurança. Retiramos a mochila de depósito (onde estavam os valores) e fomos tomar um lanche rápido no bar. O passeio pelas ruínas ficou para uma próxima vez visto que o calor fazia-se sentir e como viajávamos de moto estávamos equipados com botas e casacos nada próprios para esta actividade. Após um lanchinho seguimos em direcção a Leiria.

 

Chegados a Leiria tempo para comunicar com o amigo Marco que nos iam dar guarida, mas que naquele momento estava ocupado na Filarmónica de Famalicão. Seguimos então em direcção ao Castelo de Leiria para uma visita Manuela Castelo de Leiriarápida mas que infelizmente e visto já serem 17:45 teve de ficar para uma próxima oportunidade, visto que os monumentos em Portugal têm de se deitar cedo, este vende o último bilhete às 17:30 pois encerra portas às 18h e está encerrado à 2ª feira. As fotos ficaram pelo exterior apenas! Seguimos então para Cortes para libertar a ZuVa de todo o peso extra.

 

AljubarrotaCom a ZuVa leve novamente e descansados da viagem e depois de sabermos que havia uma feira medieval em Aljubarrota, que por sinal era o último dia, introduzimos o destino no GPS e seguimos até lá. WandereR a ComerChegados lá ficamos fascinados pelo empenho das pessoas que apesar de ser o último dia mantinham ainda a vontade de um primeiro dia! Aproveitamos para jantar num "tasco" dos tempos medievais e fomos brindados por um ambiente fantástico de outros tempos.  Temos de referir que as sopas eram fantásticas, servidas em louça de barro e só estavam limitados às bebidas que para serem fieis Comidaà época foram também servidas em copos de barro a partir de grandes jarros, havendo apenas água, vinho, sumo de laranja e cerveja. A comida foi uma mista WandereR bebidade carnes com pão que foi servida numa telha de barro que comemos recorrendo a grandes palitos não havendo talheres! Parecia que Velho Magotínhamos passado um buraco temporal e tínhamos regressado ao tempo da batalha onde a Padeira se tornou famosa. Quintais transformados em "tascos" medievais e outros em estábulos com restaurante que, recorrendo a troncos de madeira, Padeirapareciam autênticos castelos e não podemos deixar de provar a famosa Ginjinha de Alcobaça, não resistimos e compramos uma garrafa! Até havia o acampamento das tropas onde se praticava a arte de combate também conhecida por Xadrez! As crianças brincavam com espadas de madeira dividindo-se em 2 grupos: Os Portugueses que contavam com a ajuda da Padeira e os Castelhanos que eram os invasores e tinham de entrar para dentro do Forno do pão! Estavam todos muito divertidos! 

 

Tal como tínhamos combinado aproveitamos para ir gozar um pouco da noite de Leiria e fomos ter com os nossos amigos a um bar indiano no centro de Leiria.

Vagueio:
Publicado por WandereR às 11:07
Ligação do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

:. WandereR

:. SlideShow

:. Subscrever

Escreva aqui o seu endereço de Correio Electrónico:

Delivered by FeedBurner

:. Pesquisar

 

:. Dezembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

:. Tags

:. todas as tags

:. Colaboração